President Fernando Henrique Cardoso's television speech, the evening of January 15th, translated into English by Ted Goertzel, followed by the Portuguese text.
 

Good evening!

I want to say a few words to reassure the Brazilians who have accompanied with concern, as I have, the financial instability that Brazil has experienced the last few days.

All are witness to the fact that I did everything possible to avoid an abrupt change in the exchange rate.

The erroneous assumption, as much in this country as abroad, that we would not be able to complete the fiscal adjustment; the irresponsible declarations and actions on state debt moratoriums, caused both foreigners and Brazilians to begin pulling their resources out of Brazil.

Just in this week several billion dollars left the country.

I have the obligation to defend the real [the Brazilian currency unit]. I cannot allow the reserves to continue to leave the country, leaving Brazil without defenses, only to take measures later.

For this reason we decided today that the Central Bank will not intervene in the in trading of the real against the dollar. In this way, we will maintain our reserves.

The change in the exchange rate will end the lack of confidence with regard to the economy and create conditions for us, at another time, to lower the interest rates.

But this will only be possible if we quickly complete the fiscal adjustment. More than ever, the struggle against the deficit is fundamental. Only the completion of our fiscal goals will allow confidence in the economy to grow and overcome the instability in which we have lived.

I count on the National Congress for this.

We will rigorously honor our international commitments, and the plans made with financial institutions, because international support is also essential for the consolidation of confidence.

I reiterate my confidence in Minister Pedro Malan [finance minister], who will continue to lead the economic team, and who will know how to overcome the difficulties which we are living through.

The sooner we can lower the fiscal deficit, the sooner we can retake the path of economic growth at the least cost to the Brazilian population.

I want you to know that I will continue to defend the real and that I will not permit the return of the high prices.

It is time that we put aside smaller questions and personal interests, including party interests, to achieve a true union of all Brazilians, who believe in our country, and who want to contribute to generating employment and promoting growth.

It is for this that we continue working, with even more determination.

Many Thanks.
 

O discurso do presidente
 

Boa noite!

Quero dizer algumas palavras para tranqüilizar os brasileiros que, como eu, têm acompanhado com preocupação a instabilidade financeira que o Brasil tem vivido nos últimos dias.

Todos são testemunhas de que fiz tudo o que foi possível para evitar uma mudança abrupta no câmbio.

A avaliação, equivocada, tanto aqui no País, quanto no exterior, de que nós não seríamos capazes de fazer o ajuste fiscal; as declarações e as ações irresponsáveis sobre moratória da dívida dos estados fizeram com que, tanto estrangeiros, quanto brasileiros, começassem a retirar seus recursos do Brasil. Só nesta semana alguns bilhões de dólares deixaram o País.

Tenho a obrigação de defender o Real. Não poderia deixar que as reservas continuassem a sair, que o Brasil ficasse sem defesas, para só então tomar providências.

Por isto decidimos hoje que o Banco Central não interviria na cotação do Real frente ao dólar. Assim, manteremos as nossas reservas.

A alteração na taxa de câmbio afasta a desconfiança em relação à economia e cria as condições para, num segundo momento, baixar as taxas de juros.

Mas isto só será possível se completarmos rapidamente o ajuste fiscal. Mais do que nunca, o combate ao déficit é fundamental. Só o cumprimento das metas fiscais permitirá ampliar a confiança na economia e superar a instabilidade em que temos vivido.

Conto com o Congresso Nacional para isto.

Cumpriremos rigorosamente nossos compromissos internacionais e o programa apresentado às instituições financeiras, porque o apoio internacional é também essencial para a consolidação da confiança.

Reitero a minha confiança no Ministro Pedro Malan, que continuará a conduzir a equipe econômica, e saberá superar as dificuldades que estamos vivendo.

Quanto mais depressa baixarmos o déficit fiscal, mais rapidamente retomaremos a trajetória de crescimento e menor será o custo para a população brasileira.

Quero que você saiba que continuarei a defender o Real e não permitirei a volta da carestia.

É momento de deixarmos de lado questões menores e interesses pessoais, até mesmo partidários, para conseguirmos uma verdadeira união de todos os brasileiros, que acreditam no nosso País e querem contribuir para gerar empregos e promover o crescimento.

É para isto que vamos continuar trabalhando, ainda com mais determinação.

Muito Obrigado.